13 de abr de 2011

Força oculta

                                                                        Foto: Fátima Nascimento


















o olho busca
há medo e sonho
a esperança teima
e fica

nas mãos, a lida
jaz fechadas pra dor

quer-se o riso
desgosto pelo pranto

na lembrança,
o canto mudo
de ancestrais.

(Fátima Nascimento)

Obs.: Imagem da peça "Ondas da Liberdade" encenada pelo Grupo Teatropoesia Azevedo Cruz.

4 comentários:

Ígor Andrade disse...

Bonito poema!

J.F. de Souza disse...

a esperança sempre estará lá
não nos faltará
até o fim de nossos dias

mas é a fé que move o ser

Splanchnizomai abraçando o amanhã. disse...

Que todo oculto seja revelado em presença do Autor da Vida para todos. Todos.

Fernand's disse...

o canto mudo cheio de gritos...




lindo.