Visão

                                                                                                Foto: Fátima Nascimento





















o olho que vê
espreita
o outro

somos vistos
nem sempre sentidos

humanos
desumanos

riso
pranto
choro

vida à deriva
ou não

leme na mão
(melhor)

somos como barcos
na imensidão das águas
ou ancorados no chão


(Fátima Nascimento)
Posted by Picasa

Comentários

Somos enquanto estamos ancorados na verdade.

Este poema não nos deixa à deriva. Nos faz pensar.
O olhar e suas nuances. Isso ficou belo, Fátima! Meu abraço. paz e bem.
cronicando disse…
Penso que se cerrassemos os olhos físicos, enchergariamos melhor com os olhos da alma.
Abraços. Kenny Rosa
(http://cronicandocomvoce.blogspot.com)
J.F. de Souza disse…
espetacular!!! =D

=*

Postagens mais visitadas