25 de mar de 2011

Visão

                                                                                                Foto: Fátima Nascimento





















o olho que vê
espreita
o outro

somos vistos
nem sempre sentidos

humanos
desumanos

riso
pranto
choro

vida à deriva
ou não

leme na mão
(melhor)

somos como barcos
na imensidão das águas
ou ancorados no chão


(Fátima Nascimento)
Posted by Picasa

4 comentários:

Splanchnizomai abraçando o amanhã. disse...

Somos enquanto estamos ancorados na verdade.

Este poema não nos deixa à deriva. Nos faz pensar.

Cacá - José Cláudio disse...

O olhar e suas nuances. Isso ficou belo, Fátima! Meu abraço. paz e bem.

cronicando disse...

Penso que se cerrassemos os olhos físicos, enchergariamos melhor com os olhos da alma.
Abraços. Kenny Rosa
(http://cronicandocomvoce.blogspot.com)

J.F. de Souza disse...

espetacular!!! =D

=*