7 de dez de 2010

O ano termina, outro chega

wayPoucos dias para o final de mais um ano. Lembranças de lutas pessoais e profissionais, de momentos de ilusão que fazem amadurecer. Mas há muitas vitórias e sou grata a Deus por elas. Sequências de quedas, colos, superação.

Mais uma vez me decepcionei com gente, mas também aprendi tanto com GENTE. Puxei minha orelha diversas vezes. Repeti erros. Acertei outras vezes. Uma missão me foi revelada.

Em alguns momentos vesti uma “armadura de soldado” para não ser machucada e não ferir outros com palavras duras que podiam saltar do meu coração. Eu me arrependo quando digo certas coisas. E dói em mim dizê-las.

Corri do perigo e fui ao encontro dele. Fui tola e sábia. Fui neutra e ativa. Fui ingênua e maliciosa. Acreditei em palavras bonitas, em botões de rosas arrancadas do pé e que nunca se abriram. Li gestos de forma errada; ouvi o que não foi pronunciado; criei expectativas equivocadas. Guerreei.

Aprendi dança de salão, mas sei que falta muito pra eu fazer bonito no tablado. Segui a intuição. Encantei. Desencantei. Iludi. Desiludi. Vivi cada instante com esperança e entrega. Eduquei ainda mais a minha sensibilidade por meio da arte. Tentei aprender sax!

A menina misturou-se a mulher. E se brincaram. E se cansaram. E se deixaram, às vezes. Escrevi tanta poesia que dá pra publicar um livro (falta patrocínio). Fotografei muito, mas ainda menos que gostaria. Viajei. Driblei o desânimo. Eu me vesti de sol e de lua. Chorei a morte de um cão leal. Conheci novas pessoas e desejei não ter conhecido outras.

Foi um ano difícil. Foi um ano fácil. Foi um ano contraditório. Um ano de guerra civil no Rio de Janeiro e fiz a pergunta de muitos: “Por que demorou tanto?”. Recordei um tio assassinado no Rio. Questionei (e questiono) o que falta pra que estas ações aconteçam em cidades de menor porte, onde traficantes já ostentam poder em “seu” território.

Fui água que ara a terra. Cultivei o verde. Espinhos me feriram, mas insisti e vi rosas e flores desabrocharem lindamente em minha varanda. Conversei com os pássaros, com as plantas, com o céu e especialmente com o dono do Universo. Fui filha amável e respondona, irmã ausente e presente, tia coruja e educadora. A música embalou meus dias e noites, preencheu silêncios, abafou sons.

Estou inteira. Madura. Mas tenho muito ainda a aprender e realizar. Quiçá ensinar. E como me realizo com isso! Ano novo. Mais experiência. Vontades. Projetos. Sonhos que se renovam. Nascimento diário.

Que os versos e verbos falem de mim, em mim. Que sejam alento e jardim onde pensamentos aflorem e façam alguma diferença num mundo em que a individualidade é crescente. Que eu não me torne um deles.

Que o SER supere o TER. Que o BEM prevaleça em mim, em nós. Que Deus nos abençoe e proteja, sempre. Amém.

(Fátima Nascimento)

4 comentários:

Splanchnizomai abraçando o amanhã. disse...

J:)

Fátima disse...

Oi Fátima,

Amém!!
Que texto lindo, ano de sonhos e realizações.
O meu foi um ano esperado há muitos anos atrás, foi especial!

Beijos, que o próximo nós revele mais segredos dessa vida.

Cacá disse...

Que balanço maravilhoso de um ano de tantas fases, Fátima! E também uma linda mensagem para reflexões tantas... Um lindo natal e um 2011 repleto de boas energias , saúde e muitas alegrias para você e todos os seus entes mais queridos. meu abraço. paz e bem.

Splanchnizomai abraçando o amanhã. disse...

Amado companheiro de luta neste dois anos de muita vitalidade gloriesca com Jesus Lindão.

Não tenho palavras para agradecer sua confiança, lisura, competência, carinho, responsabilidade, profissionalismo, puxões de orelha preciso, ensino abundante, muito obrigada.

Teminamos hoje a primeira etapa da tarefa para a qual Jesus chamou o Brasil e, quero dize,r que você está nisso. Nunca Jesus vai esquecer os copos de água fresca ao corpo de Cristo e tenho certeza que você e sua familia fazem parte. Bem vindo ao Reino de Deus. Jesus é Lindo, e Brasil hoje amanheceu novinho e você foi um dos excelentes "parteiros".

Te amo muito com um amor meio louco, splanchnizomático, meio sem jeito, trazendo certos contratempos, mas a Igreja, que somos todos nós, está sendo curada de suas feridas de nem sei quantos anos.
Sorria, você está sendo galaxiamente filmado por Anjos do Senhor.

Sou nadica, mas com gente do seu porte... vou até no inferno. Algumas vezes estivemos lá, não?
Que bom, só o capeta safado perdeu, e Jesus não perdeu nem uma vida.

zanzoreia abraçando fatinha linda nascimento manamiga do coração fofa demais hoje, no primeiro dia do "Abraçando Amanhã".

Muita coisa virá. Seja humilde.
É o segredo. E você tanto é, que chegou aqui.

Que o Senhor Jesus abençoe você