2 de nov de 2010

O intruso noturno

Quase meia noite. Abriu a porta que dava acesso à varanda. Ele estava lá, confortável na cadeira. Disse-lhe palavras repetidas da noite anterior e da anterior àquela. Nada adiantava. Olhava atento pra ela. Nunca foi convidado. Mas isso não tinha importância. Não era necessário  convite para que entrasse onde houvesse passagem para ele. Nas primeiras noites dera-lhe comida. Parecia bem-vindo.


Mas naquele dia estava decidida. Se ele voltasse, daria um jeito naquela situação para que não mais aparecesse. E foi assim que à uma da madrugada, destemida, saiu com ele pelas ruas da cidade. Havia premeditado. Ela o deixaria bem longe da varanda de sua casa, distante de seu olhar compadecido.

Voltou pra casa. Custou a pegar no sono. Uma hora depois foi até a varanda. E lá estava ele outra vez na cadeira. Cansada, nada mais fez naquela noite. Mas se lembrou do ditado que diz que "gato escaldado tem medo de água fria". E já planeja dar um "banho" nele.

O que ele ainda não sabe (e ela teme que descubra) é que dentro de casa mora o Fábio, um frágil passarinho. E o intruso gato pode estar faminto numa próxima "visita".

(Fátima Nascimento)


Obs.: história verdadeira

8 comentários:

walnize carvalho disse...

Fátima,
Texto delicioso!
Walnize

Splanchnizomai abraçando o amanhã. disse...

Eu acho que a Walnize pensou que comentou no doce de banana.
Já aconteceu comigo. Eu comentei em postagem contrária.

walnize carvalho disse...

Não!
A palavra delicioso foi usada com o sentido de "gostoso de se ler"...

Fátima Nascimento disse...

Walnize, obrigada por "saborear" o texto. Ao começar a leitura vc pensou ser uma pessoa que ficava na cadeira ou logo imaginou que seria algum animal? Bjs.

Fátima Nascimento disse...

Splanchnizomai, entendi que o comentário da Walnize era daqui mesmo. Mas isso que vc falou acontece mesmo. Bjs, manamiga.

walnize carvalho disse...

Fátima,
Não!
A "delícia" do texto está no fator surpresa, que prende o leitor até a última linha...Já fiz isso em crônicas minhas!
Bjs,
Walnize

walnize carvalho disse...

Fátima,
A "delícia" do texto está no suspense ,que prende o leitor até a última linha!
Bjs,
Walnize

Splanchnizomai abraçando o amanhã. disse...

Ok, desculpa aí. bjos.