6 de mar de 2006

Quando o cão somos nós

Uma situação que me deixa muito chateada é ver animais sendo maltratados. Acontece de quem tem cahorro não se dar conta do tempo que deixa o animal preso em corrente. Sou testemunha de que isso acontece. Vejo cães que passam dia e noite acorrentados. Uma crueldade. E os cachorros nem são ferozes.
Está na hora de quem tem cão pensar sobre isso e fazer um esforcinho pra se "ver" no lugar dele. É claro que tem muito ser humano também sofrendo, mas estou falando de algo que pode estar ocorrendo no quintal de sua casa ou no do seu vizinho.
O lindinho da foto é um cão da raça Labrador. Uma meiguice de animal. Minha paixão!

2 comentários:

neilima disse...

Olá, querida Fatinha!
Bem-vinda ao blogger!
Há alguns anos eu tinha um blog-se e o abandonei há tempos. Acho que por causa do limite de postagem de imagens... tentei muitos outros blogs que aceitassem imagens sem limite e só agora parece que liberaram mais espaço.
Valeu seu comentário de única visitante! Vamos ver se mais para frente aparece mais alguém pra me visitar mais vezes!
Neijocas!

Juliana Aquino disse...

Eu sei como é isso. Já vi essa crueldade algumas vezes. Tenho uma linda cachorrinha que corre feliz pelo meu apartamento e nunca esteve presa por correntes ou coisas do gênero. Não há amor igual... ótimo registro Fátima!
Beijocas